Vossas Vozes / by Jonathas Nazareth

Eu tento decifrar as coisas

No pó do café que resta no copo

Nas folhas que caem

Nas letras de musicas que escuto

E em todas as coisas,

vejo a coincidência 

Nas dores, direção 

Nos olhos alheios

passagens pro outro lado

Eu acordo e os elementos batem na janela

Como um cão com fome

Eu jogo o tarot, búzios, 

Faço uma oração 

Ao meio dia ja me perdi

E a velha ansiedade da voltas na minha coragem 

Eu leio tudo

E nao entendo nada

não dou o fim às coisas 

Mas elas nao me acham

Ou talvez se esquecem 

Não sei respirar a não ser fundo, meu bem. 

Não precisa nem pedir

É com isso que eu trabalho

Falo sim pra tudo errado

Nao tem nada certo, porém 

Difícil é andar descalço, sem dar topadas 

Sou grato por tudo que me protege

O fim, se chama tarde 

E os sinais adormecem 

A circunstancia é simples

Mas não tem amizade por ninguém 

Pulo essa minha vez, 

Jogo na próxima 

Quer ler o número dos dados

Sem me sentir, talvez

Obrigado. 

 Untitled, 2018  Watercolor, acrylic,  and color pencil on paper  14x11 inches

Untitled, 2018

Watercolor, acrylic,

and color pencil on paper

14x11 inches

 Untitled, 2018  Watercolor, acrylic,  and color pencil on paper  11 x 14 inches

Untitled, 2018

Watercolor, acrylic,

and color pencil on paper

11 x 14 inches